Notícia

Publicado no Nacional Horseman Arabian
Artigo escrito por Ellen Medley Wright

Em seu famoso romance “O Alquimista,”Autor brasileiro Paulo Coelho descreve a história de um jovem, um pastor, que viaja longe para prosseguir a sua “lenda pessoal,”O seu destino. O jovem é contada por um rei misterioso que o universo deseja para cada pessoa para realizar sua lenda pessoal, e como ele faz a viagem, ele encontra muitos outros personagens que o ajudam a cumprir seu destino de maneiras que ele nunca esperava.

Ao longo, ele parece ser apenas na circunstância certa para atender a pessoa certa no momento certo. É uma bela história sobre como as pessoas estão interligadas, sobre escutar o eu interior para a direção, e, finalmente, seguindo o caminho que foi preparado para você desde o início. Como o jovem na história, Lucho Guimarães tem procurado sua lenda pessoal, viajando pelo mundo em uma busca que o levou de uma oportunidade para a próxima. E todos os caminhos levam à mesma coisa: o cavalo árabe. No pouco mais de seis meses, ele tem sido no negócio, Lucho Guimarães árabes tem experimentado o sucesso profundo que só acontece quando se está seguindo o caminho que tem sido feito para todos eles ao longo.

NO INÍCIO
Lucho was born in São Paulo, Brasil, e cresceu no sul do Brasil com seus dois irmãos. Eles não eram uma família de cavalos no início, mas um dos irmãos de Lucho foi incrivelmente tímida. Levaram-no para médicos e especialistas, que sugeriu que os cavalos podem trazer o menino fora de seu escudo. A família muitas vezes fui para unidades de fim de semana no campo, e um dia, se depararam com uma facilidade cavalo de embarque. Eles caminharam para a propriedade e fez amizade com o proprietário, que concordou em ajudá-los a encontrar um cavalo. Ele os levou para uma fazenda que tinha Criollo, uma raça nativa do cavalo conhecida por sua resistência. Lá, Lucho e seus irmãos avistou uma égua e potro no pasto, morrendo. “A égua foi realmente que estabelece, pele e osso, e não podia levantar-se,"Recorda Lucho. “Ela já tinha um monte de feridas em um de seus lados de estabelecer e tentando se levantar. O bebê estava perto dela, provavelmente uma semana de idade e prestes a morrer também, provavelmente não tinha sido enfermagem por dias. Eu e meus irmãos começou a chorar e disse:, ‘Isso é o que eu quero.’ Meu pai disse: ‘Bem, você não pode montar essa. Queremos um cavalo para vocês para montar.” [Leia o artigo completo]

Subscrição de atualizações e ofertas especiais:

[gravityform id="1" name="Email Signup" title="false" description="false" ajax="true"]